Como Escolher o Peitoral para Canicross?

A prática de Canicross está a começar a (re)ganhar adeptos no nosso país.
Com isto, e devido talvez à grande falta de informação disponível em Português, tem-se verificado que o erro que a maioria dos adeptos iniciantes comete é o de não utilizar o equipamento adequado ao desporto. Sem que percebam, estão a prejudicar (com a possibilidade de estar a desencadear lesões) o cão que pratica desporto com eles.

Quando pretendemos iniciar a prática de Canicross, há que ter atenção ao material que escolhemos para a mesma.
De todo o material, o peitoral/arnês usado pelo cão é o componente mais importante. Para além de ser utilizado sobre o corpo do animal que está a fazer tracção, está a ser utilizado sobre o seu pescoço e caixa torácica (onde estão localizadas importantes estruturas do sistema respiratório e cardíaco) e sobre a zona de amplitude de movimento dos membros torácicos.

Qualquer pessoa que faça algum esforço físico, nota um aumento da frequência respiratória. O mesmo acontece nos cães, assim que há um aumento da actividade física, há um aumento da frequência respiratória com o objectivo de manter o fornecimento adequado de oxigénio aos tecidos que estão a ser recrutados (músculos) e remover o dióxido de carbono resultante da respiração celular.
Para além de existir um aumento da frequência, existe um aumento da amplitude de movimento normal da caixa torácica, isto é, no momento da inspiração a caixa torácica aumenta de volume, assim como na expiração diminui o seu volume em relação ao volume corrente. Estes movimentos são aumentados durante o esforço físico.

Tentando dar uso à minha veia (muito pouco) artística, aqui fica um esquema muito simplificado:

Movimento das Costelas na inspiração

Com isto pretendo mostrar que existem movimentos fisiológicos que não podem nem devem ser constrangidos durante a prática do exercício físico, principalmente num desporto em que a força do peitoral/arnês é feita no sentido contrário ao do movimento fisiológico devido a existir carga, podendo assim comprometer a função respiratória do animal.

Relativamente à amplitude de movimento dos membros tóracicos:
Os membros torácicos do cão, de uma maneira muito simplista, funcionam como um pêndulo. Ou seja: existe um “ponto fixo” onde a escápula (osso do ombro) é sustentada do resto do corpo do cão por meio de uma “articulação muscular”, existindo movimentos de deslize para trás e para a frente em relação à sua posição neutra.
Movimentos estes que devem acontecer em toda a sua amplitude, para que o cão corra de forma saudável, e para que seja possível dar uso a toda a força produzida pelo animal.

Movimentos de Flexão e Extensão do Ombro Canino

Resumindo: para além de existirem movimentos respiratórios que não podem ser restringidos, existem movimentos envolvidos no andamento do cão que também não devem ser prejudicados. Por isto e muito mais, importa escolher um peitoral/arnês adequado ao seu cão. (correr com um peitoral/Arnês desadequado equivale a correr com um calçado desadequado – grande/pequeno demais/ para tipo de pisada diferente da sua)

Em Portugal, existem poucas lojas físicas que disponham de material apropriado para a prática de Canicross (pessoalmente conheço uma loja e tenho uma pessoa conhecida que me fez dois por medida), acabando os praticantes por recorrer muitas vezes às lojas online. Mas, assim que encontrar uma loja ou alguém que lhe possa emprestar equipamento para que possa experimentar, foque-se primariamente no seguinte:

  1. Não deve impedir a mobilidade dos membros torácicos;
  2. Não deve restringir movimentos respiratórios
  3. O peitoral deve assentar no cão sem ficar justo;
  4. Deve ser feito de fitas largas e almofadadas e não (apenas) de tiras de nylon das quais as maiorias das trelas são feitas;

Em primeiro lugar, e relativamente aos dois pontos iniciais acima descritos, vamos à questão que mais me tem preocupado com o que tenho visto com os novos praticantes da modalidade:

  • “Forma” do Peitoral
    Voltando à minha tentativa de explicar visualmente:

Sistema Muscular

Sistema Esquelético

Sistemas sobrepostos

Existem diversos músculos (e estruturas) que devem ser tomados em consideração quando vamos escolher um peitoral. Principalmente se esse peitoral vai ser usado para o cão fazer tracção, como é o caso do Canicross.
Quando o cão faz tracção, o peitoral exerce forças contrárias ao movimento do cão, ou seja, um cão que se desloca em corrida a fazer tracção de carga (dono), o peitoral exerce forças “compressivas” no corpo do cão.
Como explicado anteriormente, existem movimentos que não devem ser restringidos. Por isso é que NUNCA se deve usar peitorais que apoiem no peito do cão de forma horizontal!!!!

NUNCA usar!!

  1. Bloqueiam os movimentos respiratórios;
  2. Bloqueiam os movimentos dos membros torácicos;
  3. Não usar NUNCA!!
  4. Mesmo Nunca!

O adequado é escolher um peitoral em forma de “Y”, que assentam no peito do cão de forma vertical, sobre o esterno. Isto faz com que, no tamanho adequado, os movimentos dos membros torácicos não sejam restringidos, assim como os movimentos respiratórios.

Um dos modelos mais utilizados no Canicross

Outro dos modelos mais utilizados no Canicross

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando experimentamos um Peitoral/Arnês, assim como quando experimentamos calçado para nós, importa ver se serve.
Para se certificar disso, verifique as seguintes zonas:

  • Zona do pescoço
    No pescoço passam grandes vias aéreas do Sistema Respiratório e grandes vasos do Sistema Circulatório, sendo por isto, uma zona vital a que deve prestar atenção.
    Deve conseguir pôr e tirar o peitoral pela cabeça do cão com facilidade. Puxe o peitoral para trás (como se o cão estivesse a puxar), deve conseguir passar alguns dedos por entre o peitoral e o pescoço do cão. Tenha ainda a certeza absoluta que não está a ser exercida pressão na garganta do cão (o peitoral não deve estar muito subido no pescoço).
  • Zona do peito
    Como anteriormente explicado, o peitoral deve exercer pressão na menor área possível da caixa torácica. Certifique-se que o peitoral não restringe os movimentos respiratórios do seu cão, mantendo sempre em mente que durante o exercício o cão vai respirar mais “profundamente”, realizando movimentos respiratórios de maior amplitude.

Quem já “espreitou” material de canicross, certamente viu que existem peitorais com diversos comprimentos. Por isso, numa tentativa de ajudar, aqui fica:

  • Comprimento do Peitoral
    Para saber que comprimento deve adquirir, deve estabelecer para que objectivo o pretende:
    – Passeio/Caminhada/Agility, etc : Peitorais curtos (os “normais” que se vêm nas lojas). Os peitorais longos não são aconselhados para estas actividades visto estarem desenhados para serem “puxados”;
    – Canicross/Bikejor/Dog Scootering : Depende de como o seu cão corre:

Observe o seu cão quando corre em liberdade. Tem tendência para trotar (A) ou galopar (B) (faz muitos movimentos da coluna)?

A – Trote

B – Galope

Outra questão que tem que se colocar é se o seu cão faz tracção regularmente quando fazem desporto ou se vai apenas a correr à sua frente sem fazer força.

A resposta a estas questões vai indicar o tipo de peitoral mais adequado ao seu cão:

Cão trota Cão galopa
“Não puxa” Curto Curto
Faz tracção Longo com costas em X Longo com costas livres

NOTA: Os peitorais longos são mais indicados para cães que façam tracção, visto estarem desenhados para serem utilizados com aplicação de forças (não são desenhados para serem utilizados “soltos”).

Relativamente aos peitorais longos, as últimas dicas são que o ponto em que liga à trela deve estar situado entre o meio do final da caixa torácica e a base da cauda, dependendo do tipo de peitoral, e quando usado em tracção, não deve ser afastado do corpo do cão (ângulo de tracção deve ser baixo).

Outra questão que deve ser colocada é se o seu cão já sofreu alguma lesão que possa influenciar o local onde o peitoral assenta. Se a resposta for positiva, aconselhe-se com o seu médico veterinário ou com alguém especializado.

Importa referir que estas dicas não são estritas nem rigídas porque cada cão é único. No entanto, ao seguir estes conselhos, certamente irá adquirir um peitoral que permita ao seu cão praticar desporto consigo sem que corra risco de lesões.

Durante a pesquisa para este artigo, encontrei este link que poderá ser útil:
https://dogfit.co.uk/pages/choosing-the-best-canicross-harness
(Não o experimentei, mas achei interessante.)

 

Espero que o artigo seja útil e qualquer dúvida que tenham, podem entrar contacto comigo pelos comentários ou pela nossa página do Facebook ou ainda pelo Grupo Canicross & Canitrail Portugal. Terei todo o gosto em ajudar da melhor forma que conseguir.

Carolina Manguinhas

 

Referências Bibliográficas:

2 comentários a “Como Escolher o Peitoral para Canicross?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *